junho 6

Textos

Festa do Cariru

O Cariru é uma festa religiosa que contém a junção de elementos do catolicismo cristão branco e o da cultura de matriz africana. Os relatos a seguir são na verdade expressões que observamos e coletamos durante o percurso da ação audiovisual PEDALADA na zona rural do município de Araci (BA) entre os meses de janeiro e março de 2016. As pessoas que realizam o Cariru são devotas de alguns santos do catolicismo, entre eles, São Cosme e Damião, Santa Barbara e São Crispinho. Os devetos costumam fazer promessas à um determinado e em troca dessa promessa cumprida realiza-se a festa conhecida como Cariru. Uma característica fundamental é a de que a festa do Cariru é geralmente proposta e realizada pelas pessoas que tem filhos gêmeos. Após as crianças atingirem a idade de sete anos, os pais são orientados pelos pais de santo a oferecerem o Cariru no dia do aniversário dos respectivos filhos gêmeos como uma forma de obterem saúde. Durante a realização da festa acontece o momento do jantar, o Cariru, que é servida aos proprietários da casa onde está sendo realizada a festa. Os donos da casa são convidados a se sentarem á mesa juntamente com 21 crianças, todas vestidas ritualisticamente e ordenadas para a ocasião. O cariru oferecido é o vatapá, quiabo e galinha. Após o jantar ser oferecido aos donos da casa e as crianças, a seguir é destinado a todas as outras pessoas presentes. A festa do Cariru é repleta de musica do incio ao fim, podendo durar até o amanhecer do dia seguinte. As musicas são especificas para cada etapa do ritual sendo composta por samba de roda, cantoria de reis e o samba para a incorporação do caboclo.

Musicas tocadas no Cariru

Quem labuta com São Cosme  Não pode facilitar  A merenda dele todo ano tem que da   xx xx xx   Cosme e Damião  Vem lavar as mãos  Todo mundo comeu  Só eu que não

xx xx xx

Samba de roda pra baixar o caboclo:

Ah! Vamos levantar  Essa mesa sim senhô  Vamos levantar A mesa do orixá

xx xx xx

Samba de roda pra baixar caboclo:

Santo Antonio bateu o sino  Que nossa senhora vem  Se não for engano meu  Santa Barbara vem também

xx xx xx

Fui pro mato tirar flor  Encontrei cajá no chão  Encontrei com Santa Barbara  São Cosme e São Damião

xx xx xx

Cosme e Damião  A sua casa cheira  Cheira cravo, cheira rosa Cheira flor de laranjeira xx xx xx

********************************

Cantigas de roda
As cantigas de roda são cantadas nas casas nos dias de reza, os devotos fazem promessas para uma determinada santa e quando as promessas são atendidas realiza-se uma reza na casa do devoto, os cantadores de reis são convidados para cantar e tocar depois da reza, tem as cantigas de roda, a música de santo reis, cantigas para baixar as entidades. E no terreiro da casa , forma-se uma roda com pessoas de várias idades e começam a recitar versos que pode ser decorados ou inventados na hora, acompanhados de palmas e passos.
Eu atirei sofrer no pendão do mio
Eu atirei mas não matei no pendão do mio.
……………………………………………..
Menina dos olhos pretos
Sombrancelhas de veludo
Teu pai é pobre
Mais teus olhos vale tudo.
…………………………………………….
Perto do meu peito
Tem duas chaves do Bomfim
Uma tranca, outra destranca
Quem quer bem não faz assim.
……………………………………………………..
Se eu soubesse que tu vinha
Sexta-feira de tardinha
Mandava varrer o terreiro
Com uma rosa lichandrinha.
…………………………………..
Sete mais sete são quatorze
Com mais sete vinte um
Tenho sete amor no mundo
Mas só tenho paixão por um.
……………………………………………
Gosto de morar no alto
Porque no alto eu vejo bem
Vejo a casa do meu sogro
E os olhos do meu bem.
…………………………………………
Detras daquela serra
Passa boi, passa boiada
Passa menina bonita
Do cabelo cacheado.
……………………………..
Oi Lena, oi Zabé
Tu quer café com leite
ou leite com café
Oi Lena, Oi Zabé
Me diz que é.
…………………………..
Rasta a mala
Mala rasta
Tomaram meu amor
Mais não se gozou.
………………………………..